FCMS realiza 7ª Semana Pra Dança com mostra de filmes e lançamento do Prêmio Célio Adolfo

8/04/2013 | Marcio Breda
Palimpsesto

Campo Grande (MS) – A Fundação de Cultura do governo do Estado, em parceria com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, realiza de 8 a 12 de abril o CineMIS Mostra Dança e o lançamento do Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança. As atividades celebram o Dia Internacional da Dança (29 de abril) e estreiam as ações da 7ª Semana Pra Dança.
O CineMIS Mostra Dança, que começa nesta segunda-feira, 8 de abril, contará com exibições de espetáculos de dança de artistas renomados nacionalmente, assim como de videodanças e filmes.
Todas as noites de exibições serão mediadas pelos professores do curso de Artes Cênicas e Dança da UEMS Christiane Araújo, Denise Nachif, Gabriela Salvador e Juliana Gurgel, além da bailarina e produtora cultural Renata Leon, que debaterão com os alunos e o público em geral a temática abordada na programação. 
O projeto estimula e incentiva a formação artística por meio da difusão de vídeos doados à Fundação de Cultura pelo Acervo Mariposa, um programa de cultura nacional de distribuição de materiais videográficos em dança.
Prêmio Célio Adolfo de Incentivo a Dança – Na abertura da Mostra CineMIS haverá o lançamento do Prêmio Célio Adolfo de Incentivo a Dança, voltado ao estímulo, à criação e à circulação em dança. O edital foi proposto e elaborado em parceria com a Câmara Setorial de Dança.
O edital oferece aos profissionais da dança a inscrição em três categorias: ‘Montagem e Circulação’, direcionadas a artistas, grupos e companhias com no mínimo cinco anos de atuação e a categoria ‘Montagem’, para novos criadores, destinado a grupos e bailarinos que possuam uma atuação mínima de três anos na dança.
A ideia dessa última categoria é estimular os bailarinos que normalmente atuam em grupos e companhias apenas como intérpretes a se interessarem pela criação de novas possibilidades na produção. Além disso, há também a intenção de atingir os novos artistas que entram no mercado de trabalho através dos novos cursos de artes cênicas e dança que o Estado oferece atualmente.
O lançamento do Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança contará também com a participação do grupo Bailah de Dança de Salão da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.
Além desta apresentação a cada noite do Semana Pra Dança haverá performances, intervenções e pequenos solos de dança criados pelos alunos durante as aulas na Universidade Estadual.
A Semana Pra Dança continua durante todo o mês. No dia 17 de abril acontece mais uma edição do projeto “Cultura em Situação”. Na ocasião será realizado o debate “Diálogo entre formação e ensino de dança”. A participação é aberta e o evento acontece às 14 horas, no Museu da Imagem e do Som.
Já o município de Dourados recebe atividades artísticas durante o Dourados Dança, uma parceria com a Secretaria Municipal de Cultural. As apresentações acontecem entre os dias 26 e 28 de abril.
Confira a programação de exibições do CineMIS e apresentações de dança:
8 de abril – segunda-feira – 19 horas
Sertão – Os sons, o clima, a terra e o cheiro do sertão do Piauí integram a autobiografia do coreógrafo Marcelo Evelin, cuja história impressa como marca de aço quente em seu corpo divide com o público. Sertão é um espetáculo de dança que estreou em 2003 na Holanda, país onde Evelin acabou se naturalizando após passar os últimos 18 anos de sua vida.
Coreógrafo Marcelo Evelin. Registro de espetáculo, 60 min, 2003.
Mediação da exibição: professora Christiane Araújo.
Intervenção coreográfica: [Con]tudo-[Con]tato – Música: Yann Tiersen.
Grupo de extensão em dança contemporânea da UEMS.
Lançamento do Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança
Coreografia: Quarteto Água – Música: Funs com Intro.
Manolo Schittcowisck, Taira Sanches, Tatiane Miranda e Letícia Pontes.
9 de abril – terça-feira
O Baile – Filme de 1983 produzido pela FrançaArgélia e Itália, uma comédia musical dirigida por Ettore Scola. O filme é uma adaptação do espectáculo que oThéatre du Campagnol tinha montado em Paris, com encenação de Jean-Claude Penchenat. Sem diálogos, o filme conta parte da história da França, da década de 1930 à década de 1980, a partir dos personagens reunidos em um salão de dança. Através das recordações das pessoas, da música e da dança, o filme traça um panorama da evolução do país, da ocupação nazista ao surgimento do rock’n’roll.
Diretor Ettore Scola. Comédia musical, 76 min, 1983.
Mediação da exibição: professora Juliana Gurgel.
Dança – Bailah Grupo de Dança de Salão da UFMS.
10 de abril – quarta-feira
2ª e 3ª Edição da MS Mostra Videodança – Produções diversas em videodança sul-mato-grossense. Com o intuito de promover o fortalecimento e a continuidade na produção em videodança no cenário regional e nacional, a mostra apresentará as manifestações em videodança produzidas por artistas sul-matogrossenses e por artistas nacionais que compõem o Acervo Mariposa, estimulando assim, a circulação e o escoamento desses trabalhos, assim como o intercâmbio entre tecnologia, produção e pesquisa.
Escada, Cia Vitrola (videodança, 4 min, 2008).
Rockers/ Desosso o osso e flutuo (videodança, 4 min, 2008).
Sensações Contrárias de Dimenti (videodança, 5 min, 2007).
Hemocromatose de Bruno César (videodança, 13 min, 2007).
A Vontade de Irma Brown (videodança, 2 min, 2008).
Pas de Corn de Diego Mac (videodança, 1min40, 2006).
Mediação da exibição: professora Denise Abrão Nachif.
Solos da disciplina de Composição Coreográfica (2012) de Artes Cênicas e Dança da UEMS
Bruno Loiácono – Coreografia: Dúvida. Música: Lead me home / Jamie N. Commons
Flávia Lais Alarcon – Coreografia: Intimamente só. Música: Chega de Saudade
Suzane Costa – Coreografia: Impulso. Música: Grupo Cordão de Ouro
11 de abril – quinta-feira
Umberto da Silva – Amo a Vida e Namoro a Morte – Este curta-metragem põe em foco a trajetória de Humberto da Silva (1951-2008) no cenário da dança contemporânea atual. Humberto da Silva movimentou a dança paulista como bailarino, coreógrafo e programador de dança. Ultimamente era assessor de dança da Secretaria Municipal de Cultura, professor de Artes do Corpo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP e bailarino independente. Seu último espetáculo, Cara Pálida, estreou em fevereiro de 2008.
Direção Inês Bogéa e Tatiana Lohman. Curta-metragem, 2008, 12 min.
Maria Duschenes – O Espaço do Movimento – O filme Maria Duschenes – O Espaço do Movimento resgata a trajetória e as experiências dessa importante figura da dança brasileira e ao mesmo tempo projeta seus ensinamentos para o cenário da dança atual.
Direção Inês Bogéa e Sérgio Roisenblit. Curta-metragem, 2006, 17 min.
Mesa Verde – Uma coreografia de Kurt Jooss altamente original que formulou uma crítica severa do funcionamento da Liga das Nações e marca a dança expressionista alemã. Com um discurso político até então incomum na dança, a sua proposta mostrou características que viriam a ter suas criações futuras: o uso de recursos teatrais, o domínio das performances dramáticas, com cortinas pretas, em vez de cenário para realçar o movimento dos bailarinos e temas inspirados na contingência.
Coreógrafo Kurt Jooss. Registro de espetáculo, 1932, 30 min.
Mediação da exibição: professora Grabriela Salvador.
Trabalhos de conclusão da disciplina Linguagem Visual e Movimento (2012) de Artes Cênicas e Dança da UEMS
Angela Montealvão, Livia Lopes e Nayandre Loubet – Coreografia: 3 Marias. Música: Humming – Portishead
Grupo Lotu’z – Coreografia: Sensualize
12 de abril – sexta-feira
Pequeno Sonho Vermelho – Inspirado na tela de mesmo nome de Wassily Kandinsky, de 1925, “Pequeno Sonho em Vermelho” trata de situações cotidianas e suas implicações em pequenas cenas, sempre com a atmosfera de sonho e a cor vermelha sugeridos pelo título, com um pequeno detalhe que remete à obra original. O espetáculo usa e abusa de um plano não muito utilizado em peças convencionais – o plano aéreo, e ainda conta com um trabalho circense, presente entre piruetas, quedas e performances acrobáticas, misturadas ao texto de tom p(r)o(f)ético e ao mesmo tempo natural de Fernando Bonassi.
Direção Francisco Medeiros e Lucienne Guedes, Cia Linhas Aéreas. Registro de espetáculo, 1h10min, 2003.
Palimpsesto – Reorganiza materiais processados e apresentados em espetáculos anteriores, criados pelo Núcleo de Criação do Dirceu. Partindo da ideia sugerida pela etimologia da palavra, a obra mergulha em uma reescritura pelas entrelinhas de um conteúdo que se firma como questão urgente: como falar de maneira pessoal de algo que nos afeta, move e transforma, mas com uma linguagem que interesse a todos? Com coordenação geral do coreógrafo Marcelo Evelin, o Núcleo de Criação do Dirceu formou-se em 2006 dentro de um projeto de pesquisa e desenvolvimento de artes performáticas em Teresina, no Piauí. Reunindo artistas entre 16 e 34 anos das áreas de dança, teatro, música e break dance, parte da equação Arte = Pensamento + Ação para investigar o posicionamento do intérprete-criador autônomo.
Núcleo de Criação do Dirceu – Marcelo Evelin. Registro de espetáculo, 58 min, 2007.
Mediação da exibição: professora Gabriela Salvador e Renata Leoni.
Solos resultados da disciplina de Composição Coreográfica (2012) de Artes Cênicas e Dança da UEMS
Greta Helena Carvalho – Coreografia: Outro Ar. Música: Florence and the machine – breath of life
Luciana Zlata – Coreografia: Lady Macbeth/ Música: Sonoridade para Vozes Sonâmbulas e Instrumento (Participação Silvio Santana e Erico Bispo).
Serviço: O CineMIS Mostra Dança acontece de 8 a 12 de abril, sempre a às 19 horas, no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura e Cidadania, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 559, 3º andar. Mais informações pelo telefone 3316-9178 ou pelo e-mail: mis.de.ms@gmail.com.
O Acervo Mariposa é um programa cultural de gestão do acervo de vídeos de dança. A construção de um patrimônio coletivo é a principal tônica do acervo, cuja finalidade é estabelecer a democratização dos materiais de dança, seja para a comunidade da dança, seja para o público em geral. A base de licenciamento do acervo de vídeos de dança do Acervo Mariposa é o Creative Commons, ou seja, o artista decide qual alcance e abrangência da sua obra produzida ou registrada em vídeo. Informações: http://www.acervomariposa.com.br.

Publicado por Ana Paula Sena de Almeida

Eu tenho insights! ;-) www.apsaprojetos.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: