Estado é o primeiro a exigir estudo não só em cidades históricas, mas em qualquer município