NOTAS DE LEITURA LIVRO: FOGO LIBERTADOR, O. PIERRE LÉVY – COLABORAÇÃO DE DARCIA LABROSSE – ED. ILUMINURAS – 2000.

Raffael,_Loggia_di_Psiche,_Villa_Farnesina,_Rome_06.jpg

Buscando informações sobre Identidade x Consciência

“O tempo não passa.” (Tempos e espaços do ser)

“Aqui convergem todos os tempos. Agora contém todos os lugares.”

“(…) não há nada a esperar, nem nada a atingir. Estamos aí. Já estamos aí. Estamos aí desde sempre.” (p. 77)

O capítulo da Identidade

“Abandone para sempre as opiniões que os outros têm de você. Afaste-se completamente das imagens e representações que você faz de si mesmo. Abandone totalmente qualquer ideia de mérito ou culpa, de inferioridade ou de superioridade. Não há nada a ‘provar’, nem para si nem para os outros. Pare de perguntar quem é você é. A identidade é uma sujeição: você só é manipulado porque forjou uma imagem de si mesmo. A identidade é uma prisão. Saia do labirinto da identidade.” (p. 87)

A consciência habita o tempo presente e pode estar em todos os lugares com variadas facetas de si mesma. A consciência não se aniquila diante da identidade é estar eterno e a percepção do todo contido em si mesma. Micro e macrocosmos. Enxergar isto é estar consciente ou como defende o autor, Pierre Lévy, “estar presente”.

Às vezes, estar presente significa conectar-se a um “avatar”, uma energia, uma história na linha do tempo e do espaço, lançando-se no multiverso das identidades.

O que é a meditação do “EU SOU”? É a busca da conexão com todo e todas as possibilidades de si mesmo. Quase que como uma busca bioquímica na biblioteca da nossa memória celular e ancestral, conhecida como inata.

Em seu livro “O que é Virtual”, Pierre Lévy indica o psiquismo como fonte de informações sobre esta inata:

“Simetricamente, a vida psíquica manifesta-se como um fluxo dos afetos.” (p. 105)

A memória das células está conectada ao coração ou aos afetos para os quais este coração direciona suas pulsações. Compreender estas informações que nunca foram palpáveis para nós é um desafio para a ciência da atualidade que busca simular a consciência humana em ambientes digitais.

A egrégora compreendida

“Tal como atestam a mitologia, os contos e toda literatura, a família é o lugar privilegiado de ação da maldade.” (p. 127)

Então, a egrégora na qual nos encontramos não diz respeito ao lugar, mas sim, sobre os atores, a família materializa estas personagens que animam afetos e referências com os quais nossos corações vibram.

 Consciência

“Desconfie dos mortos-vivos.

A negligência, o caminho da mente.

Os vigilantes nunca morrem.

Os negligentes vivem mortos.

DHAMMAPADA” (p. 128)

(…) E, a luz dos amantes me despertou, me libertou e me trouxe a solidão verdadeira e necessária. A solidão do encontro com meu verdadeiro amor. (Hermafrodita do caduceu, o anjo com dois sexos/O ser completo).

Sense8: conectar-se com outras consciências por meio do acesso à fonte. (A fonte é tal qual uma malha neuronal que percebe, absorve e suporta o TODO – sensível ou percepção máxima do que poderíamos chamar de “psiquismo integral”)

A única chave para a fonte é a pureza do amor. Então, nos tornamos anjos no sentido simbólico e psíquico.

6b989c8898b9e09f7a232b78a488333b

 

 

 

 

Anúncios

Em tempos de inteligência coletiva…

o conhecimento voa…

Ano 2050

Compartilhe, identifique-se, seja, pense, energia que vai, energia que vem!

Psiquismo integral (Piere Lévy, O que é virtual? / p.104)

Éter! No Ethernum! (risos)

6de0e-like
Curtiu? Curta mais!

Médias, culture et cognition : entretien avec Pierre Lévy | Philosophie, médias et société

Rescooped by Ana Paula Sena from Semantic Sphere

Médias, culture et cognition : entretien avec Pierre Lévy | Philosophie, médias et société

Pierre Lévy est un philosophe qui a consacré sa vie professionnelle à la compréhension des implications culturelles et cognitives des technologies numériques, à promouvoir leurs meilleurs usages sociaux et à étudier le phénomène de l’intelligence collective humaine.

Via Pierre Levy

Ana Paula Sena’s insight:
Revoluções cognitivas!

Anatomy of a Smart City

Rescooped by Ana Paula Sena from The Rise of the Algorithmic Medium

Anatomy of a Smart City

The 19th century was a century of empires, 20th century was a century of nation states and the 21st century will be a century of cities…
This outstanding infographic (courtesy of postscapes.com) begins with some information about our current state of urbanization.
Did you know that 1.3 million people are moving to cities each week?! It then explains the need for smart cities and delves into what is required to establish these intelligent connected environments, how the smart city may take various forms in the developing worlds and what specific technologies are necessary to achieve such grand goals in practice.

Via Lauren MossPierre Levy

Ana Paula Sena’s insight:
😉