Gerando recursos para seu projeto cultural

 

Hoje em dia é muito mais fácil ser o cara da banda do “Eu sozinho”. Fazer um projeto através de plataformas digitais tornou-se tarefa executável, não é fácil num país preconceituoso e centralizador como o Brasil.

Temos uma infinidade de alternativas e nomezinhos bastante populares que caíram no gosto popular, mundialmente falando, crowdfunding, colaboração, sharing economy, compartilhamento, economia digital, gameficação, etc.

Nomes não faltam para conceituar este novo modo de viver todo mundo junto e misturado. Enfim, a união faz a força mesmo quando parecemos tão sozinhos em nossos PCs, gadgets, smarthphones, Googleglass.

Fiz uma colaboração recentemente no projeto de um músico e compositor, liberando espaço no meu site para que ele disponibilizasse suas músicas e iniciasse uma campanha para divulgar a produção e o lançamento de seu novo CD. Neste tipo de projeto, todas as ações e campanhas estão interligadas. Deve-se pensar desde a publicidade até o destino dos contatos que serão feitos ao longo do processo.

Também deve-se prever que a crise política pode colocar tudo em risco. Um país que leiloa os espaços na internet para interesseiros políticos fatalmente coloca tudo a perder num imenso mercado como este apenas em benefícios do interesse político de determinado partido A ou B.

Enfim, é possível gerar recurso para o seu projeto através da internet e também impossível conviver com a tacanhice da gestão pública que sempre quer levar vantagem em tudo e nunca permite liberdade, de fato, nos meandros da rede que é mundial mas está vivendo plenamente uma favelização ideológica. Violência, mentiras e manipulação.

Enfim, o que mais precisamos neste contexto de economia digital é de boas, honestas e baratas plataformas que possibilitem o tal do “Eu sozinho” a trabalhar em paz. O resto é interesse político, corrupção, manipulação da rede e aquele jeitinho brasileiro de nos deixar cada vez mais dependentes de artigos que não nos interessam mais!

Faça você mesmo! Caso precise de insights e expertise, acesse: www.apsacultura.com.br

 

 

Curso de Marketing Digital para Produtores e Artistas – Aula 1

AULA 1 – INTRODUÇÃO  – CASE “PLAYING FOR CHANGE”

O que você propaga pela internet?
Depois deste curso, pode ter certeza, seu olhar sobre os conteúdos que você posta na internet será muito, muitíssimo diferente! Entre outras coisas, será um olhar mais empreendedor e organizado.
A informação está de braços dados com o marketing digital, sempre! A proposta de elaborar e colocar este curso no ar surgiu devido aos vários desafios que observei enquanto nutria e investia no blog Binóculo Cultural, monitor de informação para empreendedorismo cultural e criativo. Desde 2010, venho fazendo serviços de “curadoria de informação” e “disseminação seletiva”. Pois bem, esses serviços foram mostrando para mim que sem o marketing digital era impossível avaliar os resultados do meu trabalho. Do que adianta saber que 500 pessoas leram o que você escreveu, se você não souber como gerenciar as métricas que estão por trás destes números?
Enfim, é isso que quero propor com o Curso de Marketing Digital para Produtores e Artistas. Ajudar esses profissionais a colocarem seus conteúdos na internet fazendo um bom trabalho de análise e acompanhamento de resultados!

Vídeo do YouTube

Por que um Curso de Marketing Digital para Produtores e Artistas?
Primeiro, porque quem publica conteúdos como textos, vídeos e áudios na internet tem, evidentemente, como objetivo a divulgação de seu trabalho ou de suas ideias.
Mesmo nas situações em que você quer imprimir humor, está lá sua marca e seu trabalho. Portanto, entender o que é Marketing Digital será muito, muito bom para melhorar seu relacionamento com clientes, fãs e seguidores.
É artista, produtor ou curioso pelo assunto? Saiba que neste curso você vai aprender:

a) Os conceitos do marketing digital;
b) Elaborar seu planejamento estratégico de marketing digital,
c)  Conhecer as métricas de análise e dicas importantes dos profissionais de referência;
d) Escolher seu posicionamento de marketing e aplica-lo em suas campanhas;
e) Conhecer plataformas, tecnologias, estratégias digitais de marketing;
f) Elaborar as páginas digitais e ser dono de seu “painel de controle”;
g) Análise de “Cases” será base para estudos e discussões neste curso;
h) Conteúdo e dicas importantíssimas sobre como gerar visitas (tráfego) no seu site, blog ou rede.
Por que devo fazer este curso?

a)  Para cuidar de seu marketing digital de forma competente e independente;
b) Para fazer seu próprio marketing digital, economizar algum dinheiro e reinvestir nas campanhas em Google Buscas, Facebook, Vídeos, etc.;
c)  Para ter acesso ao seu próprio “painel de controle”, saber todos os detalhes sobre os usuários que visitam seu site, blog ou rede de vídeos;

Prêmio Funarte de Produção Crítica em Música

As inscrições estão abertas até o dia 27 de maio
A Fundação Nacional de Artes (Funarte/MinC) divulga edital do Prêmio Funarte de Produção Crítica em Música 2013. O edital destinará R$ 200 mil para premiar dez projetos que abordem aspectos históricos, sociais, antropológicos e econômicos da música brasileira ou que pesquisem a relação entre a obra de compositores nacionais com determinadas correntes estéticas ou com músicos internacionais, bem como aspectos da cadeia produtiva da música. O prêmio será de R$ 20 mil a cada um dos classificados.
As inscrições podem ser feitas até dia 27 de maio, exclusivamente por via postal, endereçadas ao Centro da Música da Funarte (Rua da Imprensa, nº 16/1308 – Centro – Rio de Janeiro – RJ – CEP 20.030-120). No link abaixo estão a ficha de inscrição e o edital.
O prêmio é coordenado pelo Centro de Música da Funarte e tem o objetivo de fomentar em âmbito nacional , a reflexão, a produção e a difusão de conhecimentos sobre a música. As modalidades dos projetos podem ser monografias, dissertações, teses ou investigações jornalísticas que pesquisem sobre a música brasileira erudita ou popular.
(Fonte: Funarte/MinC)
(Texto: Ascom/MinC)

Prêmio Adicional de Renda – PAR 2013 investirá R$ 8 milhões no mercado

Produtoras, distribuidoras e exibidoras podem inscrever seus projetos até o dia 20 de maio
Estão abertas a partir de hoje, 19 de março, as inscrições para o Prêmio Adicional de Renda – PAR 2013, que contemplará empresas brasileiras produtoras, distribuidoras e exibidoras de longas-metragens nacionais com recursos no valor total de R$ 8 milhões.
Para a participação de empresas produtoras e distribuidoras, serão considerados os filmes nacionais cujo lançamento no circuito comercial tenha ocorrido entre 1º de dezembro de 2011 e 30 de novembro de 2012. Para as empresas exibidoras é necessário ter cumprido a Cota de Tela no ano de 2012, e será considerada a exibição entre o dia 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2012 de longas-metragens brasileiros cuja data de lançamento comercial no mercado de salas de exibição tenha ocorrido após 1º de julho de 2011.
O edital de 2013 traz pequenas modificações em relação a 2012, de forma a adequar o Prêmio Adicional de Renda à Instrução Normativa 110, sobre procedimentos para a apresentação e análise das prestações de contas de recursos públicos aplicados em projetos audiovisuais, o que inclui a alteração das regras de abertura da conta de movimentação.
Criado em 2005, o Prêmio Adicional de Renda tem como objetivo estimular o diálogo da cinematografia nacional com o seu público, premiando as empresas de acordo com o desempenho comercial dos filmes brasileiros no mercado de salas de exibição. Desde a sua primeira edição, o PAR já concedeu um total de R$ 58 milhões a empresas produtoras, distribuidoras e exibidoras. Os recursos da premiação devem ser obrigatoriamente aplicados no desenvolvimento de novos projetos, de acordo com o segmento de atuação da empresa contemplada.
Na categoria Produção, as empresas contempladas deverão investir os recursos no desenvolvimento de projetos, na complementação de recursos para filmagem ou na finalização de longas-metragens. Na categoria Distribuição, elas deverão investir em desenvolvimento de projetos, aquisição de direitos de distribuição (aporte na produção) ou comercialização de filmes de longa-metragem. Na categoria Exibição, os recursos deverão ser utilizados em operações de infra-estrutura, como automação de bilheteria, aquisição de equipamentos digitais, complementação de renda para abertura de novas salas e projetos de formação de público para o cinema brasileiro.
A inscrição no processo de seleção deve ser feita até o dia 20 de maio. Clique aqui e veja o edital 2013 e seus anexos.
Fonte: Ancine

Pesquisa de Produção e Vendas do Mercado Editorial Brasileiro

É chegada a hora de conhecermos o desempenho do setor editorial ano base 2012. Para tanto, sua colaboração é imprescindível. A pesquisa Produção e Vendas do Mercado Editorial Brasileiro é realizada anualmente pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE/USP) sob encomenda do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e da Câmara Brasileira do Livro (CBL), neste ano com a coordenação de Leonardo Müller. Neste ano, a coordenação na FIPE ficará a cargo Leonardo Müller.
A principal alteração do questionário com relação aos anos anteriores é de ordem metodológica. Observando dados das outras edições, foi percebido que muitas editoras não produzem apenas em seu sub-setor predominante (há editoras Didáticas que produzem CTP, Religiosas que produzem Obras Gerais, e assim por diante). Para lidar com essa questão, o novo questionário abrangerá produção e vendas em mais de um sub-setor. Aquelas editoras que produzem em apenas um responderão apenas à linha correspondente.
A principal alteração do questionário com relação aos anos anteriores é de ordem metodológica. Observando dados das edições anteriores, foi percebido que muitas editoras não produzem apenas em seu sub-setor predominante (há editoras Didáticas que produzem CTP, Religiosas que produzem Obras Gerais, e assim por diante). Para lidar com essa questão, o questionário deste ano abrangerá produção e vendas em mais de um sub-setor. Aquelas que produzem em apenas um sub-setor responderão apenas a linha correspondente.
O questionário ficará disponível até 3/4 pelo link http://pesquisa.fipe.org.br/livros/2012/ e pode ser respondido por etapas até a data limite.
Os dados coletados pela pesquisa são confidenciais e de uso exclusivo da FIPE, sendo seu acesso ou divulgação totalmente vedados a qualquer pessoa, empresa ou instituição, incluindo a CBL e o SNEL.
Lembramos que o estudo é uma importante referência utilizada por todo o setor livreiro brasileiro e pela UNESCO. 
Os resultados serão divulgados aos associados de ambas as instituições idealizadoras. Mais informações com Mariana Bueno pelo e-mail cbl-snel@fipe.org.br ou telefones 11 99902-5269 / 3091-5823, das 14h às 18h.

Pontos de Cultura podem se inscrever para produção de programas de TV no DF

Estão abertas as inscrição para a articulação e capacitação dos Pontos de Cultura e associações culturais do DF para a produção de programas de TV, iniciando pela linguagem digital para a web e com foco a desenvolver um programa semanal na TV Comunitária Cidade Livre no Distrito Federal.
Serão 3 encontros formativos e um final de apresentação dos programas e debate com parceiros e agentes públicos para ampliar o espaço da produção cultural do DF em meios de comunicação público. Os dois primeiros encontros serão no Ponto de Cultura Invenção Brasileira, no Mercado Sul de Taguatinga, QSB 13. outros encontros serão divididos da seguinte forma: dois encontros coletivos no Ponto de Cultura Invenção Brasileira, um terceiro encontro nos Pontos de Cultura dos(as) participante com visita do Fr3d e um último encontro em abril, em data a definir, no Teatro da Praça a convite do Cineclube Cine Teatro EIT – Ponto de Cultura Mundo Olhares Saberes – FAISCA, em Taguatinga.

Este projeto é resultado de uma parceria inicial de Fr3d Vázquez, contemplado com o Prêmio Tuxáua Cultura Viva 2010 e o Ponto de Cultura Invenção Brasileira e Estação Digital. Esta parceria ampliou-se com o apoio da TV Comunitária Cidade Livre DF, que irá veicular todos os programas produzidos, associação Programando o Futuro que ajudará na metodologia de produção audiovisual. O projeto Estação Digital do Invenção Brasileira e a Artéria/Rede Candanga, disponibilizarão os equipamentos locais,transmissões ao vivo pelo estudiolivre.org e disponibilizarão da distribuição Linux Junta dados que traz os mais atuais aplicativos de edição audiovisual do mundo livre.

Fonte: Portal do Software Livre Brasil

Escola de Cinema e Televisão de Cuba faz seleção de candidatos em Belém

A Escola de Cinema e Televisão de Cuba (EICTV) abre inscrições para processo seletivo na Região Norte. A Escola convoca candidatos, entre 22 e 29 anos, para se inscreverem, até o dia 9 de março, no Processo Seletivo 2013/2016. No Pará, o concurso está na 4ª edição e já levou três alunos: uma aluna do Amapá, na primeira edição, e, no ano passado, dois alunos de Belém, para estudar na Escola de Cinema e Televisão de Cuba.
O Processo se dá graças ao apoio de entidades como a Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas-metragistas – Secção Pará (ABDeC Pará), Associação de Produtores de Cinema Norte/Nordeste (APCNN), do Instituto de Artes do Pará (IAP)/Núcleo de Produção Digital do Pará (NPD Pará) e, agora, conta com outra importante parceria, a da Faculdade de Artes Visuais da UFPA.
EICTV – É uma organização não governamental, situada em Cuba. A Escola foi inaugurada em 15 de dezembro de 1986, pelo escritor e Prêmio Nobel de Literatura Gabriel García Márquez (Colômbia), por meio de sua Fundação do Novo Cinema Latino-Americano. A instituição teve como primeiro presidente o cineasta Fernando Birri (Argentina) e sempre contou com o apoio do Instituto Cubano de Cinema (ICAIC), então presidido pelo cineasta cubano Julio García Espinosa, membro da Fundação e um dos idealizadores da escola junto com García Márquez.
A EICTV oferta sete especializações, no período de três anos cada. Direção, Produção, Roteiro, Fotografia, Som, Documentário, Edição de TV e Novas Mídias.  Cada candidato deverá optar por apenas uma destas especializações para realizar o processo de seleção. De acordo com coordenador do processo de seleção no Norte, Afonso Gallindo, os cursos mais procurados aqui, na região, são Direção, Documentário e Roteiro.
A diretora da Faculdade de Cinema da UFPA, Ana Lúcia Lobato, explica que o apoio da Universidade é muito importante. “A nossa contribuição será para que a seleção aconteça da melhor forma possível. Isso é muito importante para que o curso de Audiovisual possa se aproximar de um curso de peso como esse da EICTV”, diz Ana Lúcia Lobato.
Documentos – Para realizar as provas, o candidato deve apresentar a lista de documentos disponível no site da EICTV de Cuba e  ficha de inscrição, que deve ser enviada por e-mail e levada impressa no dia da prova escrita. Serão selecionados entre quatro e seis candidatos do Brasil para fazer parte de um grupo de 40 alunos de todo o mundo, sobretudo da América Latina.
Processo seletivo – A seleção  tem como coordenador nacional Guigo Pádua, realizador mineiro.  As provas serão realizadas em cinco cidades brasileiras: Belo Horizonte, Recife, Florianópolis, Goiânia e Belém, nos dias 15 e 16 de março.  Cada candidato irá passar por duas provas escritas, uma de conhecimentos gerais e outra de conhecimentos específicos, de acordo com a especialização escolhida, no dia 15. Após esse processo, uma comissão com profissionais da área, em Belém, irá indicar os melhores candidatos nesta fase do Processo Seletivo. Já no dia 16, somente os candidatos aprovados na etapa anterior irão participar da entrevista oral. 
Finalizadas essas etapas, serão enviados os documentos, entrevista e material da prova, feita em Belém, para o Conselho Docente da EICTV, em Cuba, que vai fazer a seleção final com os candidatos indicados.
Serviço:
Seleção para a Escola de Cinema e Televisão de Cuba (EICTV)
Inscrições: Até 9 de março de 2013
Provas nos dias 15 e 16 de março
Mais informações acesse blog da EICTV no Pará.
Texto: Gabriela Amorim – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Reprodução / Google
Fonte: Portal UFPA